ERMERA, 14 de março de 2020 (TATOLI) – O Presidente da Autoridade do Município de Ermera, José Soares, revelou que, de acordo com os dados da Cooperativa de Café Timor e Associação de Cooperativas de Negócio Nacional, a exportação de café timorense sofreu uma quebra na ordem das quatro mil toneladas, durante os primeiros dois meses deste ano.

As mudanças climáticas, nomeadamente o fenómeno El Niño, são apontadas como as principais causas para a redução da produção de café.

“Desde 2016, exportámos, em média, entre 14 mil e 16 mil toneladas de café. No início deste ano, registámos uma redução em cerca de quatro mil toneladas”, referiu José Soares, no Instituto do café de Timor-Leste (ICTL), em Ermera.

“Enquanto o café Arábica não suporta tanto o calor, o Robusta é mais resistente”, referiu.

Segundo o responsável, o Município de Ermera tem-se coordenado com o Ministério de Agricultura e Pescas (MAP) para proceder à análise desta quebra, no âmbito da política de produção de café que recebe ainda o apoio do Governo da Nova Zelândia e de países parceiros.

Também o Presidente da Camara de Comércio e Indústria (CCI-TL), Luís Alves, manifestou a sua preocupação com a quebra na produção de café na região de Ermera.

“Tenho-me coordenado com as autoridades de Ermera e o Ministério da Agricultura e Pescas para resolvermos essa questão. É necessário efetuarmos a reflorestação do café no Município de Ermera para reverter esta situação”, afirmou.

Jornalista: Natalino Costa
Editora: Julia Chatarina

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here