Turismo de Timor-Leste. Imagem/Google.

DÍLI, 16 de junho de 2020 (TATOLI) – A Embaixada dos Estados Unidos da América (EUA) em Timor-Leste pretende, através do projeto “Turismo ba Ema Hotu” (TBEH) da Agência Norte-Americana para o Desenvolvimento Internacional (USAID), revitalizar o turismo timorense, ajudando o Governo e a indústria turística, que perdeu rendimentos durante a crise sanitária provocada pelo novo coronavírus.

O projeto tem como objetivos estimular o turismo, ajudar as pequenas e médias empresas e ligar o turismo de Timor-Leste à indústria turística internacional.

Segundo o comunicado a que a Tatoli teve hoje acesso, com base na análise de entrevistas aos operadores turísticos do país, nomeadamente hotéis, agências de mergulho e artesanato, o TBEH identificou três pilares para mitigar o impacto da crise – promoção, recuperação e preparação para o futuro.

“O TBEH prepara também uma iniciativa de retoma do turismo de Timor-Leste para apoiar o Ministério do Turismo, Comércio e Indústria. A ideia do TBEH inclui uma campanha que visa estimular o turismo interno, disponibilização de consulta para os pequenos e médios negócios e colaboração com as instituições de microfinanças para melhorar o acesso ao financiamento”, diz o documento.

O TBEH propõe também alternativas para promover Timor-Leste como destino turístico, designadamente através do turismo comunitário.

A Embaixadora dos EUA, Kathleen Fitzpatrick, disse que o reinício do projeto TBEH pode ajudar Timor-Leste a combater as dificuldades causadas pela covid-19 e diminuir o impacto negativo na economia, incluindo no turismo.

“Os Estados Unidos comprometem-se a dar um apoio global e a Timor-Leste, adaptando o nosso programa para que sejam enfrentados os desafios através da contribuição financeira, que é de aproximadamente um milhão [para Timor-Leste] e mil milhões para o mundo inteiro”, disse.

Já Gestor da empresa East Timor Trading Group, Sam Aluwihare, acredita, como empregador de 220 timorenses na área da hospitalidade, que os esforços do Governo timorense e de outras agências bem como o projeto TBEH são essenciais para a revitalização da indústria do turismo no país.

“É importante assegurar o que já foi criado há 18 anos. Mantemos o trabalho e reiniciamos este setor para atingir os objetivos do país de diversificar a economia e de atrair 200 mil turistas para Timor-Leste até 2030”, afirmou.

Jornalista: Nelia Fernandes

Editora: Maria Auxiliadora

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here