Professores portugueses repatriados para o país de origem. Imagem/António Goncalves.

DÍLI, 03 de agosto de 2020 (TATOLI) – A Ministra dos Negócios Estrangeiros e Cooperação (MNEC), Adaljiza Magno, disse que   os ministérios da Educação timorense e português estão a cooperar no sentido de transportar estudantes timorenses oriundos de vários países estrangeiros e professores portugueses de Lisboa para Díli.

“Os estudantes timorenses [provenientes do estrangeiro] vão ser repatriados num voo operado pela EuroAtlantic de Portugal graças à coordenação entre os dois governos, sobretudo os ministérios da Educação de Timor-Leste (TL) e de Portugal. O MNEC tenta igualmente colaborar neste processo delicado”, disse a governante, no Parlamento Nacional.

Segundo Adaljiza Magno, o voo operado pela EuroAtlantic vai repatriar estudantes timorenses que concluíram já os seus estudos, sendo que 82 estão em Portugal, 28 em Cuba, sete no Brasil, seis no Reino Unido e um a residir na Itália. Adiantou ainda que estes regressarão juntamente com professores portugueses da Escola Portuguesa de Díli e do projeto CAFE (Centros de Aprendizagem e Formação Escolar).

“Esta é a lista provisória que recebemos hoje. Quanto ao custo, [da viagem dos estudantes bolseiros], caberá às entidades responsáveis pela bolsa efetuarem o pagamento dos bilhetes de regresso. Esta iniciativa partiu do Governo de Portugal, pelo que os que não são bolseiros e que pretendem regressar ao país têm de pagar do seu bolso”, adiantou.

A ministra acrescentou que o MNEC está ainda a analisar mais pedidos por parte de cidadãos timorenses não bolseiros que residem no estrangeiro e que pretendem regressar a Timor-Leste. Garantiu, deste modo, que o seu ministério envidará todos os esforços para encontrar meios de os poder juntar num mesmo local para então apanharem um voo rumo a Timor-Leste.

Segundo a informação da Embaixada de Portugal em Díli a que a Tatoli teve hoje acesso, a agência de viagens Sonhando confirmou que a data prevista para a realização do voo Lisboa-Díli será a 19 de setembro, enquanto o voo de Díli a Lisboa está previsto para o dia 21 de setembro.

Já a deputada da Bancada do CNRT, Virgínia Ana Belo, questionou a coordenação entre os executivos de Timor-Leste e de Portugal em relação ao voo da EuroAtlantic.

“Por que motivo é que o preço do bilhete é muito elevado? O valor é de 1.980 euros. O que é que o Governo vai fazer?”, questionou.

Recorde-se que o Boeing B767-300ER da EuroAtlantic Airways (EAA) aterrou em Díli, a 4 de março, no Aeroporto Internacional Presidente Nicolau Lobato de Díli, para transportar 211 portugueses, a maioria de professores que se encontrava a lecionar em todo o território.

A companhia aérea portuguesa EAA foi contratada pelo Estado Português por intermédio do Ministério dos Negócios Estrangeiros (MNE) no sentido de ser realizada a operação de repatriamento de um grupo de professores portugueses em Timor-Leste.

Segundo a NewsAvia, esta companhia transportou, em 2008, a bordo de um Lockheed L1011 TriStar, num voo também de emergência, uma força militar da Guarda Nacional Republicana (GNR) para o Aeroporto de Baucau. Outra operação semelhante ocorreu em 2012.

 Notícia relevante: Maioria dos portugueses mantém-se em Timor-Leste. Só 211 repatriados

Jornalista: Maria Auxiliadora

Editor: Zezito Silva

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here