Coordenador do Programa de Assistência das Doenças Mentais, Recuperação Psicossocial & Desenvolvimento em Timor-Leste (PRADET, em inglês), Nicolau V. Ximenes. Imagem/Nelia Fernandes.

DÍLI, 10 de outubro de 2020 (TATOLI) – O Coordenador do Programa de Assistência das Doenças Mentais, Recuperação Psicossocial & Desenvolvimento em Timor-Leste (PRADET, em inglês), Nicolau V. Ximenes, disse que desde 2002 que esta organização registou, em  sete municípios, 1.687 timorenses com problemas de saúde mental.

Segundo Nicolau Ximenes, as pessoas com problemas mentais identificadas pela PRADET são oriundas dos municípios de Aileu, Ainaro, Díli, Baucau, Bobonaro, Ermera e Liquiçá.

“A nossa equipa de cada município procedeu, através de avaliação, à identificação das pessoas que sofrem de distúrbios. De acordo com a base de dados, registámos ao todo 1.687 pessoas com doenças mentais”, informou este sábado, Nicolau V. Ximenes, em Lecidere, Díli.

O coordenador do programa referiu ainda que a  organização não governamental garante não apenas o atendimento às pessoas com problemas mentais como também a coordenação com médicos e enfermeiros que trabalham na área da saúde mental em centros de reabilitação nos municípios.

“Desde 2014, conseguimos reintegrar, em média, 28 pacientes por ano. Entre os utentes reintegrados durante o processo de reabilitação psicossocial, alguns frequentaram centros de reabilitação em Díli e outros em diferentes municípios”, concluiu.

Nicolau Ximenes lembrou, por último, que as causas das doenças de saúde mental resultam de fatores biológicos, psicológicos, sociais e espirituais.

Jornalista: Nelia Fernandes

Editora: Maria Auxiliadora

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here