DÍLI, 26 de novembro de 2020 (TATOLI) – O Serviço de Investigação Criminal (SIC) deteve, hoje, por volta das 11h00 horas, o Presidente da Autoridade Nacional de Comunicações (ANC), João Oliveira Freitas, por suspeitas de envolvimento no caso das ligações ilegais de internet, que já levaram também à detenção de responsáveis da operadora de telecomunicações  Telemor e da empresa Elite Computer.

Após a sua detenção, o Presidente da ANC foi conduzido até à cela das instalações do SIC, onde ficará a aguardar até ser presente a tribunal.

Após  os agentes do SIC terem efetuado várias diligências, João Oliveira Freitas viria a ser detido no Ministério dos Transportes e Comunicações (MTC) por alegadamente ter colaborado e coordenado com os outros dois suspeitos, o gestor principal da empresa Elite Computer e o responsável da operadora Telemor, no uso de uma ligação ilegal por satélite a partir de Atambua, permitindo o fornecimento dos serviços de internet a instituições do Governo timorense e ao  próprio Comando-Geral da Polícia Nacional de Timor-Leste (PNTL).

Segundo a observação do jornalista da Tatoli, durante as buscas domiciliárias e não domiciliárias, elementos do SIC apreenderam vários documentos cruciais para a investigação, entre os quais os contratos firmados entre a operadora da Telemor e a empresa Elite Computer e ainda o pagamento de impostos atribuídas às ditas empresas.

Investigadores policiais em colaboração com os técnicos das TIC apreenderam ainda dados sobre diversos contratos celebrados com 12 empresas fornecedoras da linha internet, sendo que quatro delas não estão registadas na ANC.

Durante as buscas, foram ainda apreendidos portáteis usados pelo suspeito, uma viatura de Estado, o seu telemóvel, entre outros equipamentos tecnológicos.

Os agentes policiais efetuaram de igual modo buscas na sede da ANC, tendo apreendido material informático e documentação afetas às duas empresas envolvidas no processo até ao momento, a operadora Telemor e a Elite Computer.

Os três suspeitos são acusados pelo Ministério Público dos crimes de burla informática e fraude fiscal.

Recorde-se que a ligação ilegal de satélite se iniciou em 2012, o que causou perdas verbas avultadas para o Estado.

Jornalista   : Eugénio Pereira

Editor        : Francisco Simões/Tradutor : Zezito Silva

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here