Imagem google

DÍLI, 23 de junho de 2021 (TATOLI) – A Diretora da CASA VIDA, Zipora Cabeças, disse hoje que a associação mantém como  prioridade a área da educação para as vítimas de abusos sexuais contra as mulheres.

Zipora considerou que a educação é um direito básico de todos para obterem conhecimento e garantirem a sobrevivência no futuro. Nesse sentido, a CASA VIDA quer dar a possibilidade às vítimas de irem à escola. “Apesar de estarmos numa situação grave, damos prioridade à educação”, referiu a Diretora da CASA VIDA, Zipora Cabeças, aos jornalistas da Tatoli, no seu local de trabalho.

“A CASA VIDA facilitará e oferecerá oportunidades de estudo nos ensinos básico, secundário e universitário. Damos também formação profissional. Todos as mulheres e raparigas que acolhemos vêm de situações diferentes, por isso disponibilizamos vários programas de formação em culinária, costura, artesanato, informática, artes, entre outros para ajudar na recuperação dos traumas encontrados” explicou.

A Coordenadora do Centro de Acolhimento da CASA VIDA, Alzira Pereira, garantiu que, antes de enviar as vítimas para a escola, a própria organização realiza um inquérito e fala com a direção da escola para garantir a segurança e o conforto das vítimas.

“As escolas são locais públicos, por isso faremos pesquisas e avaliações de risco no local para garantir a segurança destas mulheres e raparigas”, revelou.

Alzira disse ainda que a CASA VIDA enfrenta problemas financeiros, o que tem impacto no processo de aprendizagem das vítimas.

“O problema é a questão financeira, porque estamos ainda à espera da ajuda do Ministério da Solidariedade Social e Inclusão, então precisamos de garantir doadores”, disse.

Atualmente, estão 46 clientes no centro de aconlhimento da CASA VIDA.

Jornalista: Jesuína Xavier

Editor: Zezito Silva

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here