O Comissário-Adjunto da Comissão Anti-Corrupção (CAC) da Direção para os Assuntos de Prevenção e Sensibilização, Luís de Oliveira Sampaio. Imagem/Domingos Piedade.

DÍLI, 24 de junho de 2021 (TATOLI) – A Comissão Anti-Corrupção (CAC) recebeu já as listas dos agentes da administração pública com cargos de chefia – diretores-gerais e nacionais bem como chefes de departamento – vindos de 28 instituições do Estado para darem já início ao processo de arrolamento de bens.

O Comissário-Adjunto da Direção para os Assuntos de Prevenção e Sensibilização, Luís de Oliveira Sampaio, disse que, além destes funcionários, 2.385 pessoas dos cargos de chefia nas instituições estatais enviaram já os seus documentos para a CAC a fim de proceder ao processo de arrolamento de bens.

“A Direção dos Assuntos de Prevenção e Sensibilização continua a compilar as informações dos funcionários com cargos de chefia na base de dados”, disse o responsável à Agência Tatoli, no seu local de trabalho, na Praia dos Coqueiros.

Luís de Oliveira adiantou que o prazo de preenchimento do formulário para o arrolamento de bens termina no próximo dia 30 de setembro deste ano.

Segundo o responsável, fazem parte das 28 instituições estatais os ministérios das Obras Públicas, do Ensino Superior, Ciência e Cultura, da Justiça, do Interior e da Presidência do Conselho de Ministros, a Secretaria de Estado da Juventude e Desporto, o Instituto de Apoio ao Desenvolvimento Empresarial, as empresas públicas como a Bee Timor-Leste, a Eletricidade de Timor-Leste, o Serviço de Registo e Verificação Empresarial, a Timor GAP, o Serviço Autónomo de Medicamentos e Equipamentos de Saúde, a Agência Nacional para a Avaliação e Acreditação e a Autoridade Nacional do Petróleo e Minerais.

Constam também da lista enviada à CAC o Fundo de Desenvolvimento do Capital Humano, a Autoridade Nacional de Comunicações, a Autoridade de Inspeção e Fiscalização da Atividade Económica, Sanitária e Alimentar, o Instituto Politécnico de Betano, o Laboratório Nacional de Saúde, a Presidência da Autoridade do Município de Ermera, os hospitais de Referência de Maliana e de Maubisse, o Tribunal de Recurso e a Inspeção Geral do Trabalho.

Recorde-se que a CAC tinha antes enviado para os ministérios, secretarias de Estado, instituições autónomas e autoridades municipais uma notificação sobre o preenchimento dos formulários para o arrolamento de bens.

A CAC registou já 96 instituições do Estado, incluindo as de natureza pública direta e indireta, mas apenas nove entidades realizaram o registo em causa.

Notícia relevante: CAC regista nove instituições para declaração de bens

Jornalista: Nelson de Sousa

Editor: Cipriano Colo/Tradutor: Domingos Piedade Freitas

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here