Vice-Ministro do Interior (MI), António Armindo.

DÍLI, 06 de julho de 2021 (TATOLI) – O Governo australiano fornecerá um barco de patrulha à Unidade da Polícia Marítima (UPM) para monitorizar e proteger as riquezas naturais do mar e também vigiar as fronteiras marítimas em cooperação com a Força Naval das Falintil-Forças de Defesa de Timor-Leste (F-FDTL).

A presença do barco tem como objetivo prevenir e combater os crimes de tráfico de droga e humano, terrorismo, pirataria, imigração ilegal e poluição marítima.

“Atualmente, ainda estamos em processo de negociação com a Austrália, que concordou em fornecer assistência com um barco para a PNTL”, disse hoje o Vice-Ministro do Interior, António Armindo, em declaração aos jornalistas no edifício da Unidade Especial da Polícia no Bairro Pité, em Díli.

O governante não adiantou pormenores sobre o barco, pois ainda está em fase de negociação, mas garante que a embarcação irá ajudar as operações da UPM, também na costa sul do país.

“Sobre a chegada do barco e seu modelo, não sei bem, porque ainda está em fase de negociação”, explicou.

A Unidade da Polícia Marítima faz parte do Sistema de Autoridade Marítima e foi estabelecida especificamente para vigilância e monitorização das áreas marítimas pelo IV Governo Constitucional, com base no Decreto Lei nº 9/2009, de 18 de fevereiro e no artigo n.º 32 da Lei Orgânica da PNTL.

Atualmente, a UPM tem 120 membros efetivos, divididos em três áreas de serviço: nos postos de Batugadé, Atabae, Beloi, Porto Díli e Com, nos barcos NRTL Lusitânia, NRTL Díli, NRTL Hera, NV Timor-Leste e Kayrala e em 12 lanchas e, por último, no Quartel da UPM.

Jornalista: Nelson de Sousa
Editor: Cipriano Colo/Tradutor: Afonso do Rosário

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here