Vice-Ministro do Interior (MI), António Armindo.

DÍLI, 26 de julho de 2021 (TATOLI) – O Serviço de Migração de Timor-Leste irá conduzir uma investigação a 14 timorenses que entraram ilegalmente na província de Timor Ocidental, na Indonésia.

O Vice-Ministro do Interior, António Armindo, disse que os detidos estão atualmente a cumprir os 14 dias de quarentena, no edifício do Instituto Nacional da Administração Pública (INAP), em Comoro.

Segundo António Armindo, após o cumprimento da quarentena, o Serviço de Migração efetuará a investigação, com base no artigo 7.º do decreto-lei nº 18/202, que prevê a aplicação do pagamento de multa no valor de 30 a 250 dólares americanos em caso de desobediência às regras do estado de emergência.

“Relativamente ao valor do pagamento da multa, aguarda-se ainda o resultado da investigação final”, salientou António Armindo, em declarações aos jornalistas, no seu local de trabalho, em Vila Verde.

O governante afirmou igualmente que, com base nas informações confidenciais recebidas por este ministério, outros timorenses que atravessaram ilegalmente as fronteiras terrestres se encontram atualmente em Atambua. Por isso, o ministério colaborará com o adido da segurança em Atambua a fim de os deportar para Timor-Leste.

António Armindo apelou também a todos os cidadãos e às autoridades de segurança destacadas nas fronteiras terrestres que colaborem para evitar as passagens ilegais, prevenindo, assim, a propagação da variante Delta no território timorense.

Recorde-se que, no dia 13 de julho deste ano, as autoridades de segurança da Indonésia deportaram e entregaram 14 timorenses, alegadamente pertencentes a grupos de artes marciais, à polícia de Imigração do posto de Batugadé.

Jornalista: Afonso do Rosário

Editor: Zezito Silva

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here