Ministra dos Negócios Estrangeiros e Cooperação (MNEC), Adaljiza Magno. Imagem/Egas Cristovão.

DÍLI, 10 de setembro de 2021 (TATOLI) – A Ministra dos Negócios Estrangeiros e Cooperação (MNEC), Adaljiza Magno, pediu ao Governo militar de Mianmar que permitisse um diálogo aberto e realizasse as eleições o mais rapidamente possível para formar um Governo de transição, a fim de resolver o conflito.

“Desde o início, Timor-Leste tem sugerido a Mianmar que mantenha a paz e a estabilidade nesta situação de transição. Apelei ao Governo que realizasse as eleições o mais rapidamente possível. Sugeri também que permitisse um diálogo aberto, mantendo a paz e a estabilidade”, disse hoje a ministra à Tatoli.

A governante sublinhou ainda que Timor-Leste não aceita as violações, conflitos e crise que ocorrem em Mianmar, mas continuará a apoiar a decisão dos estados membros da Associação das Nações do Sudeste Asiático (ASEAN, em inglês) de negociar com o Governo militar de Mianmar.

É de lembrar que, na reunião da ASEAN no passado mês de abril, os países membros concordaram em propor quatro pontos de consenso a Mianmar: a libertação de prisioneiros, a resolução da violência, a entrega de ajuda humanitária e o diálogo com as partes envolvidas no conflito.

Em fevereiro, Mianmar sofreu um golpe de estado após a vitória do partido Liga Nacional pela Democracia (NLD, em inglês) nas eleições gerais de 2020. Os militares não reconheceram a legitimidade destas eleições.

Desde então, o exército ocupa o Senado e o Parlamento, declarando estado de emergência. Os principais líderes do Governo foram detidos, entre eles Aung San Suu Kyi, vencedora do Prémio Nobel da Paz.

A crise já provocou a morte a mais de mil pessoas e mais de cinco mil foram presas.

Jornalista: Afonso do Rosário

Editor: Zezito Silva

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here