DÍLI, 13 de setembro de 2021 (TATOLI) – A Autoridade Nacional do Petróleo e Minerais (ANPM) e a petrolífera Santos celebraram um acordo sobre os  preparativos de armazenamento de carbono no campo de Bayu Undan quando o petróleo acabar.

“A nota de entendimento estabelece o enquadramento necessário para a discussão com a Santos sobre a preparação da captura e armazenamento de carbono (CCS, em inglês) em Bayu Undan, quando o petróleo acabar, garantindo a sustentabilidade da indústria petrolífera em Timor-Leste”, disse o Presidente da ANPM, Florentino Ferreira, aos jornalistas, no seu local de trabalho.

O Presidente explicou que, quando a produção de petróleo acabar, Timor-Leste vai investir no sequestro de carbono no subsolo.

“No futuro, quando o campo Bayu Undan deixar de ter utilidade, não será desmantelado, mas adaptado ao sequestro de carbono para arrecadação de receitas por parte do Estado e criação de postos de trabalho”, referiu.

Florentino Ferreira referiu que a atividade de captura reflete o acordo de Paris sobre a libertação de dióxido de carbono e outros gases produzidos por meio da queima de combustíveis fósseis, contribuindo para o aumento da temperatura do planeta.

“Timor-Leste não deve perder a oportunidade de dar este passo. O projeto de CCS é produção de energia”, concluiu.

Jornalista: Jesuína Xavier

Editor: Zezito Silva

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here