DÍLI, 22 de setembro de 2021 (TATOLI) – A Presidente da Comissão Interministerial para a Elaboração e Coordenação da Execução do Plano de Vacinação contra a covid-19, Armanda Berta, e a sua vice, Odete Belo, apresentaram hoje em Conselho de Ministros (CM) o processo de implementação e funcionamento do certificado eletrónico de vacinação.

O Ministro da Presidência do Conselho de Ministros, Fidélis Magalhães, disse que este suporte digital é seguro e funciona como um comprovativo de vacinação.

“O cartão de vacinação não é seguro e pode ser estragado, caso haja inundações ou incêndios”, disse o governante.

A plataforma eletrónica contém o registo de vacinação contra o novo coronavírus e serve também de comprovativo para as viagens entre municípios com cercas sanitárias.

“A plataforma recorre à base de dados e pode ser confirmada a qualquer momento durante as viagens, tanto nacionais como internacionais. O Ministério da Saúde ainda está a desenvolver os detalhes”, referiu.

É de lembrar que o sistema foi apresentado, no passado dia 10 de junho, no lançamento da segunda fase de vacinação contra a covid-19 e funciona através da aplicação para telemóvel Registo de Saúde Eletrónico de Timor-Leste (RSETL) do Programa de Saúde na Família.

Timor-Leste registou, na semana passada, 54,9% da população vacinada com a primeira dose, o equivalente a 414.375 habitantes, sendo que 241.874 têm já a vacinação completa, ou seja, 32%.

Jornalista: Domingos Piedade Freitas

Editora: Maria Auxiliadora

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here