Governo e veteranos de Baucau realizam reflexão no local de captura do comandante David Alex ‘Daitula’. Imagem Tatoli/Francisco Sony.

BAUCAU, 27 de novembro de 2021 (TATOLI) – O Governo e os veteranos de Baucau realizaram, no âmbito da comemoração do 46.o aniversário da Proclamação da Independência de Timor-Leste, uma reflexão no local onde os militares indonésios capturaram o Vice-Chefe do Estado-Maior das FALINTIL, o comandante David Alex ‘Daitula’, na aldeia de Woraiteti, suco de Caibada, em Baucau.

O Primeiro-Ministro timorense, Taur Matan Ruak, lembrou, na reflexão, o que representou a luta de ‘Daitula’ para Timor-Leste.

“Muitas pessoas morreram pela nossa independência, incluindo o comandante David Alex ‘Daitula’. No entanto, as suas mortes não foram em vão. Deixaram-nos um país e uma terra para vivermos”, disse Taur Matan Ruak, no seu discurso.

Taur pediu ainda aos timorenses que não esquecessem o exemplo do comandante e o imitassem.

“Prestem atenção ao país de forma a melhorarmos as escolas, as clínicas, desenvolvermos a agricultura, a água potável, eletricidade, estradas e mudarmos a vida das pessoas”, apelou.

Já Manuel da Costa Soares, Secretário do Conselho de Veteranos de Baucau, explicou que foi desejo desta cidade realizar a reflexão no local onde se escondeu o comandante ‘Daitula’.

“Quisemos realizar a atividade neste lugar para chamar a atenção do Governo e transformar o local em causa num destino de turismo histórico. Reunimos todos os veteranos [do Município de Baucau] para participarem no evento e juntos contribuírem para o desenvolvimento do país. Juntamos a nossa força para um futuro melhor em Timor-Leste”, afirmou.

Segundo Manuel Soares, o Conselho de Veteranos pediu ainda ao Executivo a construção no lugar em causa de um monumento em homenagem a ‘Daitula’.

O evento decorreu da iniciativa do Conselho dos Veteranos de Baucau e custou cerca de 18 mil dólares americanos.

Entre os oito mil veteranos de Baucau, 4.045 estão vivos.

De acordo com um documento do Centro Audiovisual Max Stahl Timor-Leste (CAMSTL), David Alex, mais conhecido por ‘Daitula’, nasceu em Bualale, no Posto Administrativo de Quelicai, Baucau, em 1940.

Filho de José Marçal da Costa, chefe de suco de Bualale, e Amélia da Costa, David era o terceiro filho de cinco irmãos – Bartolomeu, Deolindo, Alfredo e João. Tinha mais dois irmãos, filhos da primeira mulher – Celestino e Carmelinda. As duas esposas de José Marçal são irmãs.

David fez o serviço militar durante os últimos anos da administração colonial portuguesa. Trabalhou como funcionário público em Díli, no Serviço de Finanças, e ingressou na FRETILIN, logo aquando da sua fundação.

No final de 1976, tornou-se comandante das Forças de Intervenção 701, localizadas perto do Matebian.

No início de 1977, David tornou-se o 2.º comandante da Companhia de Choque (KC), criada para fornecer respostas rápidas aos ataques persistentes das tropas indonésias. Manteve esta posição até à queda do último bastião da resistência, no Matebian, no dia 22 de novembro de 1978, data após a qual milhares de pessoas regressaram à vila.

David Alex Daitula permanece na região, ocupando, mais tarde, o lugar de Subchefe do Estado Maior das FALINTIL e Responsável pela Região II – Baucau.

Foi capturado na madrugada de 25 de junho de 1997. O comandante e os seus soldados estiveram numa reunião nos arredores de Baucau, quando o seu ponto de encontro foi cercado por tropas indonésias. David foi baleado no braço e na perna direita, o que o impossibilitou de escapar.

As tropas indonésias levam-no para a sede da KOPASUS (Força Exércitos Indonésia). Mais tarde foi transportado de helicóptero para Díli. Na quinta-feira de manhã, o exército indonésio anuncia que foi morto.

Jornalista: Domingos Piedade

Editora: Maria Auxiliadora

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here