Primeiro-Ministro, Taur Matan Ruak, e o Arcebispo da Arquidiocese de Díli, Dom Virgílio do Carmo da Silva, inauguram UCT. Imagem/Cidália Fátima.

DÍLI, 08 de dezembro de 2021 (TATOLI) – O Primeiro-Ministro, Taur Matan Ruak, e o Arcebispo da Arquidiocese de Díli, Dom Virgílio do Carmo da Silva, inauguraram hoje a Universidade Católica Timorense (UCT) de São João Paulo II, localizada em Balide, Díli.

As inscrições começarão, segundo o reitor, o Padre Joel Casimiro Pinto, em fevereiro de 2022 e os alunos têm de frequentar um pré-semestre, fase em que estudarão português e inglês.

As turmas deverão ter entre 30 e 50 estudantes e a universidade conta provisoriamente com 50 professores.

Os cursos disponibilizados passam pelas áreas da Educação, Letras e Artes, Ciências Humanas, Ciências Médicas, Engenharia e Agricultura.

A oferta académica, afirma Dom Virgílio, teve por base a situação e realidade do país.

“A Universidade Católica Timorense deve-se adaptar-se para facultar uma educação de classe mundial em todos os campos da atividade humana, formar pela tradição intelectual, moral e espiritual católica”, afirmou.

O Arcebispo acredita que esta nova universidade vai contribuir para uma sociedade melhor.

“Formar homens e mulheres para serem capazes de ir além do excelente desempenho da sua profissão e que se comprometam responsavelmente com os outros na construção de uma sociedade mais justa e humana”, disse.

Dom Virgílio disse também que a UCT pretende contribuir para a integração dos jovens no mercado de trabalho.

O Arcebispo avançou ainda que o português será adotado como língua de instrução na universidade.

O Chefe do Governo mostra-se, por sua vez, satisfeito com a iniciativa da Arquidiocese Metropolitana de Díli e considera a universidade um “grande projeto nacional”.

“Passados quase vinte anos sobre a restauração da independência nacional, é com grande satisfação e regozijo que celebramos hoje a abertura da Universidade Católica Timorense, carinhosamente consagrada a São João Paulo II, com o qual o nosso país possui laços de grande afeto e devoção”, afirmou Matan Ruak, no seu discurso.

Para o Chefe do Executivo, este estabelecimento de ensino superior traduz o apoio que a Igreja Católica sempre deu à comunidade ao formar jovens a nível científico e técnico mas também cívico.

“Valores que podem e devem contribuir, para bom desenvolvimento, sustentável e equilibrado do principal recurso que temos no país, os nossos cidadãos”, disse.

“Se soubermos aproveitar, poderá transformar-se numa enorme fonte de criação, de inovação e empreendedorismo, capaz de posicionar Timor-Leste no século XXI, na conquista de novos parceiros e mercados, rumo ao crescimento, desenvolvimento e prosperidade”, acrescentou.

Matan Ruak sublinhou ainda “não ser possível implementar o bem-estar social, melhorar as condições de vida, diversificar a economia e aumentar a produtividade ou a qualidade dos produtos nacionais, sem a presença de recursos humanos bem preparados”.

Notícia relevante: Dom Virgílio informa Taur sobre criação da Universidade Católica Timorense

Jornalista: Isaura Lemos de Deus

Editora: Maria Auxiliadora

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here