MF e KOICA assinam acordo de 7,9 milhões para melhorarem saúde e educação de crianças. Imagem Tatoli/Francisco Sony.

DÍLI, 14 de janeiro de 2022 (TATOLI) – O Ministério das Finanças (MF) e a Agência de Cooperação Internacional da Coreia (KOICA) assinaram um acordo de subvenção para o projeto “Say no to 5S” com o objetivo de melhorar a saúde pública e a educação das crianças timorenses em idade escolar.

O Ministro das Finanças, Rui Gomes, destacou a importância de assinar este acordo para melhorar o pacote de saúde primária, educação e ambiente escolar de modo a reduzir os vários riscos de infeções nas escolas.

“O acordo da contribuição financeira da Agência de Cooperação Internacional da Coreia conta com um montante de 7,9 milhões de dólares americanos”, afirmou Rui Gomes, em Aitarak-Laran, Díli.

Segundo o governante, o orçamento pretende melhorar os equipamentos e infraestruturas dos estabelecimentos de ensino no país de modo a fornecer alimentos nutritivos e saudáveis às crianças.

O projeto será implementado pelo Programa Alimentar Mundial (PAM), Organização Mundial de Saúde (OMS) e Ministério da Educação, Juventude e Desporto (MEJD).

“Este projeto será implementado em 400 escolas primárias e pré-secundárias, envolvendo 300 mil estudantes nos municípios de Baucau, Bobonaro e Manufahi”, acrescentou.

Rui Gomes sublinhou que a implementação deste projeto nestes três municípios se baseia nos dados preliminares da Estratégia da Nutrição Nacional de 2013 e nas recomendações do Conselho Nacional de Segurança Alimentar e Nutrição de Timor-Leste (CONSANTIL). “Estes municípios registaram crianças com nanismo infantil”, disse.

O ministro recordou ainda que, depois da restauração da independência de Timor-Leste, o país continua a registar níveis altos de pobreza e 50% das crianças timorenses com menos de cinco anos com má nutrição.

“Esta situação continua a pôr as crianças em grande risco, porque não têm capacidade de enfrentar doenças infeciosas, que provocam várias deficiências e impedem uma vida saudável, uma produtividade mais alta e uma educação com qualidade”, disse.

O Ministério das Finanças lançou, nas últimas duas semanas, o Relatório de Análise da Situação das Crianças em Timor-Leste.

“Registámos alguns melhoramentos nos últimos dez anos. Em 2010, 58,1% das crianças com menos de cinco anos sofriam de nanismo infantil, reduzindo-se este valor para 47,1% em 2020. A redução não é muito significativa”, disse.

O Executivo prevê 225,5 milhões de dólares americanos, o equivalente a 13,5% do Orçamento Geral do Estado (OGE) de 2022, para o Desenvolvimento do Capital Humano nas áreas da educação, formação e saúde.

O Embaixador da Coreia do Sul em Timor-Leste, Kim Jeong-ho, destacou a necessidade de implementar o projeto “Say no to 5S” nas escolas para melhorar a saúde e a nutrição das crianças em idade escolar no país.

“As cinco áreas-chave – fome, helmintíase transmitida pelo solo, doenças de pele, tabagismo e bebidas alcoólicas – serão abordadas nos próximos cinco anos. O Ministério da Educação e o da Saúde, com a ajuda do PAM e da OMS, fornecerão pacotes de saúde, refeições fortificadas e educação às crianças”, reafirmou.

De acordo com o diplomata, é preciso alimentar as crianças com arroz de qualidade, ensiná-las a fazer escolhas mais saudáveis e monitorizar a melhoria do seu bem-estar.

O diplomata reafirmou que, se as crianças tiverem uma nutrição e saúde melhoradas, podem combater as doenças infeciosas e desenvolver as suas capacidades de aprendizagem.

Jornalista: Isaura Lemos de Deus

Editora: Maria Auxiliadora

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here