Doentes de dengue no Centro de Vera Cruz. Imagem Tatoli/António Gonçalves.

DÍLI, 19 de janeiro de 2022 (TATOLI) – A Diretora-Geral da Prestação de Serviços de Saúde do Ministério da Saúde (MS), Odete Viegas, disse que o ministério planeia utilizar o isolamento de Tasi Tolu para o internamento de doentes com dengue de modo a evitar a sobrelotação do Hospital Nacional Guido Valadares e de centros de saúde.

“Estamos, neste momento, preocupados com a falta de espaço para albergar pacientes com dengue. Se a sala do isolamento de Vera Cruz estiver sobrelotada, temos a possibilidade de usar o espaço de Tasi Tolu, pois este lugar constitui uma boa alternativa”, afirmou Odete Viegas, em Vera Cruz, Díli.

Segundo a dirigente, é preciso também reforçar  os recursos humanos, sobretudo médicos.

“Falámos, ontem, com a Cruz Vermelha de Timor-Leste para prestar apoio aos médicos e enfermeiros. Caso a situação venha a piorar, poderemos pedir auxílio aos profissionais de saúde municipal. Os meses de fevereiro e março poderão registar mais casos de dengue”, acrescentou.

Odete Viegas sublinhou ainda que três médicos de Brigada Cuba estão a efetuar tratamento hospitalar aos pacientes no Centro de Vera Cruz.

“Durante o mês de janeiro, registamos o aumento do número de casos de dengue.  Cabe ao Ministério da Saúde solucionar o problema.  Entretanto, o Hospital Nacional Guido Valadares e os centros de saúde registaram um acréscimo substancial de pacientes com dengue. Devemos, por isso, procurar mais espaço para os acomodar”, recordou.

A dirigente lembrou também que, desde o dia 05 de janeiro, mais de 200 pacientes foram hospitalizados na sala de isolamento de Vera Cruz.

“Ontem, 204 doentes tiveram alta. Temos atualmente 106 doentes que sofrem desta patologia”, disse.

Segundo a responsável, os profissionais de saúde, em particular médicos e pediatras, continuam a esforçar-se para garantirem os cuidados médicos a estes doentes.

Odete Viegas referiu, por outro lado, a necessidade de colaboração entre todas as entidades para combater o surto de dengue no país.

“Trabalhamos em parceria com a Presidente da Autoridade do Município de Díli, os chefes de sucos e aldeias para adotarmos medidas de prevenção, sobretudo a promoção de ações de sensibilização”, acrescentou.

O país reportou, no ano passado, 900 pessoas com dengue e mais de 593 casos apenas no início de 2022, além de dez óbitos.

Ainda de acordo com Odete Viegas, a Organização Mundial de Saúde apoiou, ontem, o ministério com reagentes a teste de dengue e larvicidas.

“A equipa prepara-se para efetuar a distribuição de produtos larvicidas e fumigação aos municípios que registam um maior número de casos de dengue. Concentramos, contudo, a nossa ação em Díli”, frisou.

Centro de Vera Cruz necessita de um laboratório de qualidade

O Chefe do Internamento de Vera Cruz, Romel Braz, pediu ao Ministério da Saúde que crie um laboratório de qualidade para proceder ao diagnóstico de pacientes com dengue.

“Temos neste momento um laboratório, mas é insuficiente. Precisamos, pois, de um novo laboratório melhor apetrechado para fazer face ao aumento do número de doentes com dengue. Devemos criar condições adequadas. Já apresentámos a proposta e esperamos uma resposta já na próxima semana”, afirmou.

Segundo Romel Braz, Vera Cruz dispõe de 115 camas e cerca de 50 profissionais de saúde.

Questionado sobre a escassez de medicamentos e equipamentos, o dirigente respondeu que neste momento são em número suficiente.

O Serviço de Saúde do Município de Díli (SSMD) registou mais de 460 profissionais de saúde.

Jornalista: Isaura Lemos de Deus

Editora : Maria Auxiliadora

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here